ramoseramos

Pretende vender férias? Confira como calcular o que deve receber.


A legislação brasileira limita a dez dias a quantidade de tempo das férias que pode ser vendida pelo funcionário à empresa.


A advogada trabalhista do escritório Benhame Sociedade de Advogados, Maria Lúcia Benhame, explica que, nesse caso, o profissional tem direito a receber: 20 dias de férias, indenização (referente aos dez dias vendidos), dez dias de trabalho e o terço constitucional na íntegra.


Como calcular


Veja o que você deve somar ao cálculo, para chegar ao montante a que tem direito:


20 dias de férias

abono referente aos dez dias vendidos;

um terço do salário na íntegra;

depois, na hora de receber o salário, este deverá conter os dez dias das férias trabalhados.


Confira o exemplo elaborado pela advogada, para um profissional que recebe R$ 3 mil, ou R$ 100 por dia:


R$ 2 mil das férias;

R$ 1 mil do abono;

R$ 1 mil do terço constitucional;

R$ 1 mil referente aos dez dias das férias que trabalhou, valor que é pago na hora de receber o salário;

Total: R$ 5 mil.


Vale a pena?


Na opinião de Maria Lúcia, para quem está endividado e precisando de dinheiro, pode valer a pena vender dez dias das férias, mas sem esquecer de que parte da quantia a que tem direito não será paga antes das férias, já que os dez dias trabalhados são pagos somente junto com o salário.


"Há quem também prefira vender porque sabe que não conseguirá viajar os 30 dias das férias. O lado negativo é que a pessoa descansa menos tempo", lembra.


Ela finaliza lembrando que a decisão de vender ou não os dez dias é do empregado e a empresa não pode forçar ninguém a tomar essa decisão.


Fonte: administradores.com

9 visualizações
  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Google+ ícone social

​​​​© TODOS OS DIREITO RESERVADOS A RAMOS E RAMOS ADVOGADOS- 2019

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DO SITE | POLITICA DE PRIVACIDADE